Data centers (Olhar digital)

E √© l√°, nos datacenters, que fica guardado todo esse conte√ļdo infinito que a gente posta diariamente. S√£o locais extremamente seguros que est√£o por tr√°s de todo o processamento da web.

Os datacenters evolu√≠ram muito nos √ļltimos anos; e cresceram tamb√©m. Cada vez mais servidores s√£o necess√°rios para suprir a crescente demanda de produtos e servi√ßos online. Isso significa mais espa√ßo, mais banda, mais poder de processamento e, tamb√©m, mais energia tanto para os computadores, quanto para fazer funcionar os sistemas de refrigera√ß√£o. E √© a√≠ que mora um grande dilema: um datacenter consome muita energia; metade dela apenas para refrigera√ß√£o do espa√ßo e das m√°quinas. "Quando voc√™ fala efici√™ncia, √© aproveitar melhor a energia el√©trica, o espa√ßo e os recursos que est√£o dispon√≠veis para voc√™", explica Henrique Cecci, diretor de pesquisas do Gartner.

Atualmente um datacenter é composto por diversos tipos de servidor com potências diferentes. O consumo energético dentro dos datacenters é medido por "rack", os gabinetes onde ficam alocados os diversos servidores. "Um hack de baixa densidade, em geral, vai até 2 Kw/h. Entre 3 a 8 Kw/h é de média densidade, e mais que isso é um hack de alta densidade", diz Henrique.

Com esses n√ļmeros, podemos fazer uma compara√ß√£o simples e ter uma no√ß√£o de quant energia um datacenter consome. Vale lembrar que esses lugares funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana... o servi√ßo √© ininterrupto. Uma l√Ęmpada de 100 watts, consome 2400 watts por dia; um pouco mais do que o rack de menor densidade consome por hora. Um computador comum consome, em m√©dia, 150 watts por hora de funcionamento. Ou seja, mesmo que a m√°quina permane√ßa ligada por 24 horas, o consumo de 3600 watts est√° muito abaixo do que gasta um servidor de densidade intermedi√°ria em apenas um hora!

√Č exatamente por esse alt√≠ssimo consumo de energia que, hoje, mais do que os desafios tecnol√≥gicos, os datacenters enfrentam um momento cr√≠tico. Al√©m de atentar para o futuro do nosso Planeta, h√° uma enorme preocupa√ß√£o com a redu√ß√£o dos custos. A maioria dos datacenters mundo afora ainda t√™m o ar condicionado como principal fonte de refrigera√ß√£o do ambiente. Mas j√° tem muita empresa aproveitando as energias da natureza para poder reduzir essa conta.

Na Finl√Ęndia, por exemplo, algumas empresas constru√≠ram seus datacenters em bunkers abandonados por causa das baixas temperaturas desses lugares. "Voc√™ vai encontrar na Europa datacenters constru√≠dos dentro de igrejas antigas e mais frias. Tem outras empresas construindo no meio do oceano, usando a energia das ondas para gerar energia e a √°gua gelada do mar para refrigerar seu datacenter", diz Henrique.

Essa preocupação com a eficiência é tão grande que em alguns países já existe um incentivo fiscal para os datacenters com menor consumo de energia. No link acima, você encontra uma reportagem completa sobre essa discussão: será possível unir o mundo dos datacenters com a sustentabilidade que tanto buscamos? Acesse e fique por dentro. Aproveite e deixe sua opinião nos comentários.